Não seja uma mulher estressada

Entenda quais os sintomas do estresse e como combatê-los

No dia a dia já é possível identificar os primeiros sintomas do estresse. Uma tarefa simples passa a ficar complicada. Um hábito que antes gerava prazer passa a ser irritante.

Não seja uma mulher estressada

Sentimento de derrota, impaciência e vontade repentina de chorar. Algumas mulheres sequer notam essas pequenas mudanças. O fato é que tais características são alguns dos primeiros sintomas do estresse.

Quando a pessoa está estressada ela não consegue enxergar esses pequenos detalhes e vê todas as coisas de uma forma mais ampliada, exagerada. É nesse momento que também começam a surgir algumas doenças, já decorrentes do fator estresse. Para não permitir que doenças mais graves possam se desenvolver você precisa adotar alguns cuidados.

Quando devemos ficar atentas?

Os especialistas esclarecem algumas questões que já apontam para a necessidade de ficarmos atentas: redução da concentração, dificuldades com a memória, diminuição do rendimento no trabalho, grande vazio e sensação de insatisfação, irritação, sensação de insegurança e indecisão. Até mesmo o julgamento errado, dificuldade para se organizar e questões que antes pareciam simples e agora estão complexas.

O sono também sofre com o aparecimento do estresse e várias questões podem ser observadas, o que dificulta o dia a dia da pessoa.

Se antes a mulher relaxava no final de semana, agora ela utiliza sempre o sábado e domingo para trabalhar e retira completamente as atividades de lazer. Não há entusiasmo e a rotina fica cada vez mais monótona. 

Principais sintomas

Sintomas do estresseQuando a situação do estresse já está instalada, surgem os primeiros sintomas. Confira abaixo:

  • Cansaço
  • Ganho ou perda de peso repentina
  • Digestão difícil
  • Prisão de ventre, diarreias, gases constantes, gastrites, úlceras
  • Imunidade baixa
  • Constantes infecções, gripes, herpes
  • Mudanças na pressão arterial 

Com o agravamento do estresse, a pessoa pode ser acometida por um derrame ou infarto. As dores de cabeça, musculares e na região da coluna passam a ser muito comuns.

O que fazer?

Não se isole. Procure acordar mais cedo e iniciar uma atividade física, pois ela ajuda a diminuir a tensão. Algumas técnicas de respiração também são muito importantes.

Em casos mais graves, pode procurar uma equipe formada por médicos, psicólogos ou neuropsicólogos. Eles vão avaliar a situação e apontar bons caminhos, identificando o nível de estresse de cada um. 

Quando a pessoa percebe que está nesse nível e não enfrenta o problema, os sintomas físicos surgem para fazer um alerta ainda maior. Mesmo que você se sinta desvalorizada ou incapaz, insista nos tratamentos. Se perceber sinais de agressividade com as pessoas do seu círculo, procure explicar a situação e não se isolar.

Não seja uma mulher estressada

A alimentação, uma boa rotina de exercícios físicos e a retomada dos hábitos prazerosos são essenciais nesse momento. Mesmo que o trabalho seja um elemento de agravamento do estresse, procure alternativas com o chefe do setor ou comece a manter o seu próprio controle. Situações adversas sempre vão existir em nossas vidas, mas devemos nos fortalecer para enfrentá-las da melhor forma possível.

E você? Já vivenciou alguma situação desse tipo? Como reagiu?

Postado em - Atualizado .


Recomendado para você

Comentários